O sucesso na produtividade e o engajamento dos funcionários depende de vários fatores e um deles é a organização da escala de trabalho.

Um quadro de funcionários bem organizado e jornadas estabelecidas com inteligência conseguem prevenir ações trabalhistas, melhorar o ambiente laboral, aumentar a produção e a qualidade de produtos e serviços prestados.

No artigo de hoje, você vai descobrir o que diz a lei, os erros cometidos pelos gestores e conferir 6 dicas valiosas para montar uma tabela de turnos segura e produtiva. Continue a leitura e saiba mais!

O que diz a lei sobre a escala de trabalho

De acordo com a CLT, a escala de trabalho máxima que um trabalhador pode cumprir é de 44 horas semanais ou 8 horas diárias. Contudo, a jornada não precisa ser cumprida exclusivamente dessa maneira. A escala de trabalho pode ser utilizada por qualquer organização que necessita aumentar a produtividade, ou que deseja que o seu quadro de colaboradores esteja presente em outros horários. A lei permite os seguintes sistemas:

  • escala de 5×1: A cada 5 dias trabalhados, o colaborador folga um e ainda tem direito a um domingo de folga por mês e a duração diária de trabalho é de 7 horas e 20 minutos;

  • escala de 5×2: Dois dias de folga para 5 dias trabalhados. Domingos e feriados não são compensados e devem ser pagos em dobro;

  • escala de 6×1: Na escala 6×1, o trabalho é feito por seis dias e o sétimo é de descanso;

  • escala de 12×36: o trabalhador tem 12 horas de trabalho seguidas para 36 de descanso consecutivas;

  • escala de 18×36: O colaborador trabalha por 18 horas e folga por 36;

  • escala de 24×48: Essa escala de trabalho geralmente é voltada para cobradores de pedágio e alguns setores de polícia, em que o indivíduo trabalha por 24 horas seguidas e tem 48 de descanso.

Em todos os casos que sejam necessárias exceções, redução da carga horária, compensações, feriados, ou qualquer outro elemento que altere a escala pré-definida, é necessário ter o respaldo de um acordo de trabalho ou da convenção coletiva. Vale lembrar de que o registro no relógio ponto é fundamental para que contratante e contratado estejam protegidos mediante a lei e possam exercer suas funções sem problemas.

Principais erros dos gestores

Os principais erros dos gestores com relação às escalas de trabalho são a falta de conhecimento sobre a lei, o descontrole do registro do ponto e as práticas abusivas ao confundir o respaldo do acordo e da convenção coletiva com autoritarismo. Mesmo que seja escolhido um dos sistemas de escalonamento citados acima, a CLT possui uma série de determinações, fazendo com que essa jornada diária sofra alterações. Entre elas:

  • todo trabalhador tem direito a no mínimo 11 horas consecutivas de descanso;

  • colaboradores que laboram em horário comercial tem direito a 15 minutos de intervalo durante o dia e ao intervalo de no mínimo uma hora e no máximo duas horas para fazer uma refeição;

  • seja qual for a jornada de trabalho, todo e qualquer colaborador tem direito ao descanso semanal remunerado de 24 horas consecutivas;

  • a empresa pode contratar para jornadas de revezamento sem interrupção, contudo, a carga horária diária não pode ultrapassar 6 horas.

O não cumprimento das questões até então apontadas neste texto traz consequências que incluem uma possível autuação da justiça, ações trabalhistas e multas com valores salgados. Uma gestão que não se preocupa com os limites da lei e não faz o controle eficiente do relógio de ponto corre o risco de perder seus melhores colaboradores e sofrer o efeito reverso quando busca pelo aumento da produção.

6 Dicas para organizar uma escala de trabalho

Sabemos que muitas empresas precisam montar uma escala de trabalho não convencional para que sua operação possa fluir normalmente. Para que você esteja protegida perante a lei e consiga obter o melhor em termos de produtividade, listamos a seguir algumas dicas para organizar uma escala de trabalho segura e efetiva. Confira.

1. Analise os períodos de trabalho

Ao estabelecer uma escala, analise com cuidado os períodos de trabalho. Veja se os horários de folga estão compatíveis com a lei, se não há furos na equipe e, principalmente, se ninguém fica sobrecarregado. Utilize uma planilha para ajudar na visualização.

2. Estabeleça metas em conjunto

É comum haver divergências entre as equipes que laboram em escalas diferentes. Muitas empresas enfrentam problemas de relacionamento e produtividade, ainda que essas pessoas não se encontrem.

Para reduzir esses danos, é fundamental que todas as pessoas trabalhem para um bem em comum. Portanto, estabelecer metas em conjunto é essencial para evitar divergências e garantir bons resultados.

3. Cuide dos períodos de descanso

Quando falamos em períodos de descanso, não estamos nos referindo somente às folgas semanais referentes à escala e aos descansos semanais remunerados. É preciso ter cuidado com os períodos de férias.

Pessoas que são escaladas para exercer suas funções aos fins de semana, períodos noturnos e feriados tem menos oportunidades de socializar com amigos ou, até mesmo, familiares. Por isso, é extremamente importante que as férias desses colaboradores não sejam negligenciadas.

Algumas empresas não conseguem se organizar para disponibilizar esse período e acabam enrolando, sobrecarregando outros setores, perdendo prazos e até mesmo diminuindo a qualidade dos produtos e serviços prestados. Vigiar e controlar esses períodos é fundamental para que seja mantido um padrão de funcionamento e qualidade.

4. Estude os aspectos legais

Não tem jeito: para cumprir a legislação, é necessário conhecê-la. Portanto, estude os aspectos legais, fique de olho nas atualizações, em novas emendas, nas votações dos governos e no calendário dos sindicatos do seu segmento, tanto os patronais quanto os dos trabalhadores.

5. Mantenha o controle

A melhor maneira de não sofrer processos trabalhistas ou de ser mal interpretado pela equipe é manter o controle da jornada de trabalho. Esteja sempre atento ao registro do relógio de ponto e à carga horária de cada indivíduo dentro da empresa. Não demore muito para questionar possíveis esquecimentos no ato de inscrever a digital.

6. Disponibilize um ambiente agradável para descanso

Vamos supor que a sua empresa tenha uma equipe de segurança que faça uma escala de 12×36 ou funcione 24 horas por dia. Contratar e manter uma equipe para os turnos da madrugada não é tarefa fácil. Geralmente, os colaboradores aceitam trabalhar esse horário, pois precisam do emprego, mas em pouco tempo, solicitam a troca de horário. Esse tipo de situação pode diminuir a produtividade e aumentar o turnover.

A organização pode fazer o turno desses indivíduos ser mais agradável oferecendo um ambiente propício para o descanso. Dessa forma, os colaboradores podem voltar às suas funções com mais disposição e a jornada não fica tão pesada.

Organizar a escala de trabalho beneficiando contratante e contratados melhora a rotina, a produtividade da empresa e facilita o cumprimento das obrigações, protegendo a saúde do colaborador e o nome da companhia.

Ficou com alguma dúvida ou gostaria de um auxílio para elaborar um sistema de escalas? Deixe um comentário. Nós podemos ajudar!