Um profissional está em casa no domingo assistindo a um filme. Quando olha para o relógio, percebe que são 22 horas e, de repente, após lembrar que precisa trabalhar no dia seguinte, sente uma sensação estranha.

Isso já aconteceu com você? Os médicos chamam esse sentimento de síndrome da segunda-feira, mas na verdade significa a ausência de qualidade de vida no trabalho (QVT).

Quer entender melhor o impacto que um ambiente agradável tem sobre os colaboradores? Explicamos neste artigo os benefícios de trabalhar com um sorriso no rosto e na alma. Acompanhe!

Por que a qualidade de vida no trabalho é tão importante?

Antes que você imagine que a qualidade de vida é demonstrada por gargalhadas intensas no ambiente de trabalho, revelamos que não significa necessariamente isso. Na verdade, esse conceito envolve uma satisfação interna pelo fato de trabalhar em determinada empresa.

Unir bem-estar e trabalho talvez pareça algo fora da realidade, mas não é. Em um artigo da revista Exame, foi apresentada uma lista com diversas empresas que implantaram a QVT na sua política interna. O interessante é que os dois lados ganham e, no caso das organizações, os resultados alcançados são enormes.

Ainda segundo o artigo citado, a transparência na relação entre a empresa e os colaboradores é crucial para o clima de satisfação. Por exemplo, a empresa Google é aberta para o diálogo sobre a flexibilização da jornada de trabalho. Os funcionários ficam felizes em saber que podem labutar em um período considerado por eles como mais agradável.

Quais benefícios a empresa ganha com a qualidade de vida?

Agora, focaremos os benefícios que a QVT oferece para a organização. Vejamos alguns deles.

1. Redução do absenteísmo

O absenteísmo (faltas ao trabalho) causa muitos prejuízos para a empresa. Algumas dessas ausências são justificáveis, enquanto outras são fruto da insatisfação dos funcionários. Por exemplo, quando um colaborador não está feliz com o ambiente de trabalho, qualquer motivo pequeno torna-se uma razão válida para faltar ao serviço.

No grupo de razões válidas para o absenteísmo estão as doenças ocupacionais, como estresse, depressão etc. Porém, poderiam ser evitadas caso o nível de qualidade de vida no trabalho aumentasse.

2. Melhora do clima organizacional

O nível do clima organizacional é um indicador importante. Quando o índice é alto, os colaboradores são engajados, motivados e muito produtivos. Apesar disso, a seriedade do ambiente empresarial é mantida, porém com a leveza que favorece o bem-estar interno do time. Algumas instituições oferecem benefícios para elevar a felicidade no ambiente de trabalho. Outras promovem encontros para descontrair e fortalecer os vínculos de amizade entre gestores e subordinados.

3. Diminuição da rotatividade

turnover (rotatividade) elevado de profissionais demonstra que a qualidade de vida no trabalho não é boa. Como os colaboradores passam a maior parte do seu dia na empresa, para alguns é insuportável conviver em um local que não estimule a satisfação interna. O resultado é lógico: trocar de emprego. Quem mais perde com a rotatividade é a empresa, pois desperdiça dinheiro com novas contratações, além de gastar parte do orçamento treinando um profissional que usará o que aprendeu em outra organização.

4. Elevação dos resultados

A autora do livro Qualidade de vida no trabalho — como medir para melhorar, Eda Fernandes, citou, em outras palavras, que as empresas não podem exigir serviços de excelência sem que os colaboradores tenham qualidade de vida ao executar suas tarefas. Sendo assim, quanto mais a instituição investir na QVT, maior será o nível de qualidade dos serviços, refletindo o sentimento de satisfação que os colaboradores têm por trabalhar na organização.

Para entender se os funcionários estão gerando um bom retorno sobre o investimento (ROI), é importante usar indicadores como o de produtividade, ferramentas virtuais que mensuram o rendimento da equipe e critérios internos (metas e prazos). Com isso, a empresa perceberá possíveis prejuízos e desenvolverá estratégias da QVT para resolver os problemas.

O que achou do nosso artigo? Conseguiu entender como a qualidade de vida no trabalho eleva os resultados do negócio? Essa prática é eficiente quando aliada à política de benefícios. Então, entenda como otimizar a gestão de benefícios na empresa!